Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Bolas de Berlim... sem creme

Um blogue que não é de culinária (apesar de ter algumas receitas)

Bolas de Berlim... sem creme

Um blogue que não é de culinária (apesar de ter algumas receitas)

Quaresma Infiel, 2ª edição



Amanhã começa a Quaresma.
Para quem não leu o post do ano passado onde explico os princípios básicos da nossa Quaresma, as nossas motivações estão longe de serem religiosas. Tanto que a denominámos de Quaresma Infiel. E do que trata a Quaresma Infiel? Trata-se de apanhar a boleia dos 40 dias previstos no calendário litúrgico (na verdade, oficialmente são 46 dias, nós é que só contamos 40) que separam o Carnaval da Páscoa, durante os quais observamos hábitos salutares adaptados à nossa rotina e às nossas necessidades que visem alcançar bem-estar físico e espiritual. Podem ler os pressupostos da Carta de Princípios da Quaresma Infiel aqui, mas vou voltar a relembrar os pontos básicos. Sublinho que, apesar de nos basearmos na ideia da Quaresma cristã, estas medidas foram designadas por nós e para nós sem qualquer ligação directa com nenhuma doutrina religiosa. É uma espécie de desafio anual dos 40 dias. Só que tem mais piada chamar-lhe Quaresma Infiel. Eu cá gosto.

Então, assim, já a partir de amanhã e durante quarenta dias, para limpar o corpo vamos:

- cortar nos doces, no álcool e no pão (que é um verdadeiro problema para mim). Estar 40 dias sem álcool para quem está a amamentar é quase fazer batota, mas a verdadeira provação vai ser resistir aos doces nas duas festas de aniversário que já temos marcadas e no batizado mesmo no finalzinho da Quaresma;

- implementar uma alimentação mais saudável e voltar a incluir sumos verdes durante a manhã e um jantar mais leve com sopa e salada (o homem vai ainda fazer um dia de jejum por semana, coisa a que eu estou, felizmente, dispensada);

- praticar mais exercício físico; a amamentar e com um bebé para cuidar, não sei se vou conseguir praticar exercício todos os dias, mas, na verdade, com um ginásio que tem amas que nos ficam com as crianças enquanto vamos treinar, não há grande espaço para desculpas, certo?

Para limpar a mente, vamos:

- meditar (o ano passado tentámos meditar, mas a coisa não correu muito bem e este ano ainda não falámos nisso a sério e eu quero ver se a coisa passa despercebida, portanto, próximo ponto…)

- cultivar a nossa espiritualidade e intelecto e cortar nas séries de entretenimento fácil (talvez com excepção para True Detective, visto que falta só um episódio para acabar a temporada e andamos verdadeiros fãs do McConaughey…). Os nossos serões vão ser ocupados com actividades lúdicas e pedagógicas, como ler, escrever, praticar os nossos hobbies (no meu caso, costura e crochet) e ver documentários didácticos e interessantes (diz ele…) apenas duas vezes por semana.

- cultivar o amor ao próximo e reflectir sobre a nossa vida, família, sonhos e ambições, mas, na verdade, com a minha filha mais velha que consegue pôr-me a reflectir sobre que pessoa sou e que pessoa quero ser mais de vinte vezes por dia, acho que já estou servida nesse campo…

É basicamente isto. 
Estou verdadeiramente entusiasmada com a Quaresma Infiel este ano. O ano passado fui meio arrastada, mas este ano, motivada pela vontade de perder os quilos maléficos que me possuem, resolvi apoiar o homem a cem por cento nesta investida. Ele está motivado por me ver motivada e eu, aqui que ninguém nos ouve, estou motivada porque quero mesmo perder peso e preciso de um empurrãozinho. Nestas coisas gosto de marcar data. Pesar-me. Medir-me. E  levar a coisa a sério. 
Mas não interessam as razões. O que interessa é ter fé.