Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Bolas de Berlim... sem creme

Um blogue que não é de culinária (apesar de ter algumas receitas)

Bolas de Berlim... sem creme

Um blogue que não é de culinária (apesar de ter algumas receitas)

Essa coisa do Feng Shui

Nem de propósito: ontem fui a uma palestra sobre destralhar. Não estava previsto ir ontem, mas consegui organizar-me e tive a preciosa ajuda do homem que ficou com as meninas em plena hora do caos.

Não foi tanto o que aprendi, foi mais a curiosidade que a palestra me despertou para certas áreas, como o Feng Shui. Em certas alturas, pensei "mas isto faz todo o sentido", mas depois a formadora começou a falar de sinais de que a casa fala connosco e como curar a casa com cristais e ficou o caldo entornado. Sou muito céptica com certas coisas. E sei perfeitamente que a humidade que se instalou nas paredes da casa se deve ao microclima aqui da zona e à proximidade da serra e do mar e não necessariamente a áreas estagnadas da minha vida sentimental! Quer-se dizer. Não há necessidade de rebuscar. Por outro lado, há coisas que, de tão simples, fazem todo o sentido. Se entra água pela janela da sala quando chove, porque raio é que não mandamos arranjar aquilo? Não acredito que seja um sinal de que as finanças andam mal (e vai daí...), é simplesmente um sinal de desleixo! E o Feng Shui não se presta a desleixos. 

De qualquer maneira, falou-se em coisas muito interessantes e que acho que posso aplicar na minha vida sem fundamentalismos. Destralhar não só para limpar os espaços e celebrar o desapego ao passado, como também para criar espaços vazios para deixar entrar coisas novas no futuro e, assim, desbloquear as nossas aspirações. Destralhar é uma purga que fazemos, não só à casa, como a nós próprios. A verdade é que me sinto sempre muito mais leve depois de uma sessão valente de destralhamento. Não só porque, visualmente, o espaço fica muito mais acolhedor e convidativo, mas também porque é uma forma de sentir que andei para a frente, que mexi o rabo e estou pronta para novas mudanças.

Destralhar não se limita apenas a zonas da casa, divisões ou roupeiros. Praticamente tudo é passível de destralhamento, senão vejamos:

- Quarto da tralha, sótãos, arrecadações, garagens (o nosso caso)
- Debaixo da cama (culpados, culpados, culpados)
- Roupeiros
- Estantes dos livros
- Malas e carteiras de senhora (quem consegue encontrar as chaves à primeira?)
- O carro (quem me conhece sabe que o nosso é uma vergonha pegada...)
- O e-mail
- O telemóvel (quantas aplicações é que usam realmente?)
- O PC/portátil (fotos desorganizadas, documentos obsoletos, etc.)
- O escritório, quer seja em casa quer na empresa

E, por falar em escritório, sabem como devem organizar a vossa secretária para promover a criatividade e a concentração? Parece que há um espaço certo para tudo e eu já mudei ali o lugar das canetas (diz que é mais para a direita).


Entretanto, uma dica que não é para mim que tenho meia dúzia de sapatos, mas que pode dar jeito a muita menina vaidosa que se queixa que sai pouco: arrumem os sapatos com as biqueiras viradas para fora. Diz que isso promove uma vida social mais activa. E não digam que vão daqui.

1 comentário

Comentar:

CorretorMais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.