Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Bolas de Berlim... sem creme

Um blogue que não é de culinária (apesar de ter algumas receitas)

Bolas de Berlim... sem creme

Um blogue que não é de culinária (apesar de ter algumas receitas)

Iletrada

Ao sair da Feira do Livro (contexto importante para o final da história), um senhor parou a olhar para a Alice, perguntou se eu era a mãe e se conhecia o poema do Alfredo Marceneiro sobre as crianças. Respondi-lhe, claramente sem pensar nas consequências, que não, mas que teria muito gosto em conhecer.

Começou por recitar,

 

"É tão bom ser pequenino,
Ter pai, ter mãe, ter avós,
E ter esperança no destino
E ter quem goste de nós"

 

e depois, como deve ser uma infâmia não conhecer a poesia do Alfredo Marceneiro, desatou a recitar vários poemas de Almada Negreiros e outros de que já não me lembro, porque entretanto perdi-me no raciocínio, terminando com uma citação de Fidel Castro (juro) sobre a necessidade de ler quando nada mais há a fazer. No fim, pergunta-me: 

"Acendi uma chama? A menina promete-me que vai começar a ler?"

 

E rodopia, triunfante.

Comentar:

CorretorMais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.